Categories
BLOG

loteria federal 29/06

Resultado da Lotofácil 1808 desta quarta-feira (01/05/2019) – Confira os detalhes

Nesta quarta-feira (1), aconteceria mais um sorteio da Lotofácil, desta vez será a vez do concurso 1808. O prêmio desta quarta-feira, 01 de Maio de 2019, da Lotofácil concurso 1808, está estimado em R$ 2 milhões. Já fez a sua aposta hoje? Lembrando que pode ser feito em lotéricas ou através da internet no espaço de loterias online da Caixa.

Concurso anterior 1808 (02/05/2019)

03 05 07 08 11

12 13 15 16 18

19 20 22 24 25

15 acertos
1 aposta ganhadora, R$ 1.496.515,68

14 acertos
556 apostas ganhadoras, R$ 1.183,10

13 acertos
19521 apostas ganhadoras, R$ 20,00

12 acertos
211893 apostas ganhadoras, R$ 8,00

11 acertos
1045314 apostas ganhadoras, R$ 4,00

PONTES E LACERDA – MT
1 aposta ganhou o prêmio para 15 acertos

Concurso anterior 1807 (29/04/2019)

01 02 03 05 07
08 09 13 14 17
18 19 20 24 25

15 acertos
2 apostas ganhadoras, R$ 659.822,23

14 acertos
671 apostas ganhadoras, R$ 864,47

13 acertos
23077 apostas ganhadoras, R$ 20,00

12 acertos
243326 apostas ganhadoras, R$ 8,00

11 acertos
1218293 apostas ganhadoras, R$ 4,00

JANDAIA – GO
1 aposta ganhou o prêmio para 15 acertos

RIO DE JANEIRO – RJ
1 aposta ganhou o prêmio para 15 acertos

Lotofácil vai pagar 2 milhões:

Agora que você já sabe o valor do prêmio estimado da Lotofácil, concurso 1808, vamos ao horário do sorteio. Anote na sua agenda que mais uma vez está imperdível a Lotofácil, onde inúmeros apostadores buscam ganhar esse prêmio. Segundo divulgado pela Caixa, o sorteio da Lotofácil de hoje deste prêmio estimado de R$ 2 milhões de reais será a partir das 20h00. Anotou que é hoje 01/06/2019? O sorteio do concurso 1808? Vamos divulgar aqui os números e os ganhadores assim de a Caixa disponibilizar. Lembrando que nosso objetivo é levar sempre a melhor informação para você leitor do Portal Canaã.

Grupo no WhatsApp de Loterias

Participe do grupo de loterias no WhatsApp, entre no link.

Como jogar na Lotofácil

Vamos falar um pouco agora sobre como jogar na Lotofácil. A Lotofácil é, como o próprio nome diz, fácil de apostar e principalmente de ganhar. Você marca entre 15 a 18 números, dentre os 25 disponíveis no volante, e fatura o prêmio se acertar 11, 12, 13, 14 ou 15 números. Pode ainda deixar que o sistema escolha os números para você por meio da Surpresinha, ou concorrer com a mesma aposta por 3, 6, 9 ou 12 concursos consecutivos através da Teimosinha.

Valor da aposta da Lotofácil

Na Lotofácil a aposta mínima, de 15 números, custa R$ 2,00. E os sorteios são realizados às segundas, quartas e sextas-feiras, sempre às 20h. Você pode receber seu prêmio em qualquer casa lotérica credenciada ou nas agências da Caixa. Caso o prêmio líquido seja superior a R$ 1.332,78 (bruto de R$ 1.903,98) o pagamento pode ser realizado somente nas agências da Caixa. Valores iguais ou acima de R$ 10.000,00 são pagos após 2 dias de sua apresentação na agência da Caixa.

Importante

Lembrando que não havendo ganhador em qualquer faixa de premiação, o valor acumula para o concurso seguinte, na faixa de prêmio com 15 acertos. Não deixe de conferir o seu bilhete de aposta.

Sobre o Bolão da Caixa

O Bolão Caixa é a possibilidade que o apostador tem de realizar apostas em grupo. Basta preencher o campo próprio no volante ou solicitar ao atendente da lotérica. Na Lotofácil, os bolões têm preço mínimo de R$ 10,00, cada cota não pode ser inferior a R$ 2,50, sendo possível realizar um bolão no mínimo 2 e no máximo 8 cotas (para apostas compostas por 15 números) ou mínimo de 2 e máximo de 30 (para apostas compostas por 17 números) ou mínimo de 2 e máximo de 35 (para apostas compostas por 18 números). É permitida a realização de no máximo 10 apostas por Bolão. Em caso de Bolão com mais de uma aposta, todas elas deverão conter a mesma quantidade de números de prognósticos. Você também pode comprar cotas de bolões organizados pelas Unidades Lotéricas. Neste caso, poderá ser cobrada uma Tarifa de Serviço adicional de até 35% do valor da cota.

O Portal de Notícias de Canaã dos Carajás, Sudeste do Pará para todo o Brasil.

Jamil Chade

Jamil Chade

Lula solicita que seu julgamento seja acelerado na ONU

Conselho de Direitos Humanos da ONU, em Genebra, se reúne nesta semana para tratar de crimes e violações

Colunistas do UOL

Carta enviada no dia 27 de junho ainda indica que novas evidências serão submetidas, numa referência às conversas entre procuradores e o então juiz, Sérgio Moro.

GENEBRA – A defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva apresentou ao Comitê de Direitos Humanos da ONU uma nova petição, apelando para que a avaliação do caso em Genebra seja acelerado e indicando que irá submeter nos próximos dias as conversas e mensagens vazadas entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e membros da Operação Lava Jato.

O material publicado pelo site The Intercept reforçaria, na visão dos advogados, a queixa central contra o então juiz responsável pela condenação do ex-presidente. Na última quinta-feira, o Comitê da ONU recebeu dos advogados do ex-presidente uma carta, indicando que novas provas serão apresentadas contra Moro.

No documento de 27 de junho, obtido pelo blog, os advogados solicitam que a ONU estabeleça um prazo para que a defesa possa submeter o que acredita ser novas evidências. Elas vão se somar à documentação já enviada ao longo dos anos à sede da entidade em Genebra.

Na carta, os advogados de Lula apontam que os documentos que irão enviar são “evidências indiscutíveis” das violações de direitos supostamente cometidas contra o ex-presidente.

Mas, por conta da extensão da documentação, os advogados solicitaram um prazo para que possam fazer as traduções das conversas de Moro, dos procuradores e submeter o material. A carta é assinada pelos advogados Valeska Teixeira Zanin Martins, Cristiano Zanin Martins e Geoffrey Robertson.

O blog apurou que as conversas publicadas pelo site The Intercept seriam apenas parte do novo material que será enviado para a ONU.

Pressa

Na carta, os advogados ainda pedem que o Comitê acelere a avaliação do caso de Lula. O argumento: ele está preso há 446 dias “depois de um julgamento injusto” e por ser “um homem de 73 anos”. “É ainda importante ter em conta que Lula já sofreu um dano irreparável, considerando que o estado-parte (Brasil) não cumpriu com as medidas cautelares estipuladas pelo Comitê (da ONU) no ano passado”, disse.

Na ONU, um caso é apenas colocado como “urgente” se ele representa um dano irreparável ao autor da queixa. Isso inclui pena de morte ou deportação.

O caso de Lula foi levado ao Comitê de Direitos Humanos Nações Unidas em julho de 2016. A denúncia central era de que o então juiz federal Sérgio Moro estaria agindo em conluio com os procuradores no julgamento do ex-presidente. Em outubro daquele ano, as equipes legais da ONU aceitaram dar início ao exame.

Em meados de agosto de 2018, o Comitê de Direitos Humanos da ONU concedeu medidas cautelares e solicitou às autoridades brasileiras que mantivessem os direitos políticos de Lula até que seu caso fosse avaliado pelo Supremo Tribunal Federal e que o mérito do caso fosse tratado em Genebra. O órgão formado por 18 peritos independentes, porém, não atendeu ao pedido para que o ex-presidente fosse solto e não deu qualquer garantia de que essa seria a conclusão de seus trabalhos.

Naquele momento, o Comitê deixou claro que, ao pedir medidas cautelares, o órgão não estava pré-julgando uma eventual inocência ou não de Lula. Mas optou por unificar o processo e avaliar, ao mesmo tempo, a admissão do caso e seu mérito.

O governo se limitou a considerar que a decisão não tinha poder vinculante e não atendeu ao pedido do Comitê. Mas, diante do início da consideração do mérito do caso, o governo foi obrigado a apresentar suas argumentações em novembro de 2018.

Prazos

O Comitê de Direitos Humanos da ONU se reúne três vezes por ano e tem um número de mais de 500 casos acumulado para tratar. A queixa de Lula não foi incluída na agenda das reuniões de julho e existia a possibilidade de que o caso fosse deixado para 2020.

Mas as novas evidências e a carta solicitando pressa no processo poderiam mudar o cronograma. Uma possibilidade é de que Lula seja alvo de uma avaliação na reunião do Comitê em outubro, em Genebra. Mas ainda não é uma garantia.

A realidade, porém, é que as novas evidências das conversas de Moro levaram alguns dos peritos a reler as respostas dadas pelo Brasil desde 2016, na esperança de avaliar até que ponto a resposta do governo iria se manter coerente.

Na semana passada, o relator da ONU para a Independência do Poder Judiciário, Diego García-Sayán, descreveu as conversas entre o ministro da Justiça, Sérgio Moro, e o procurador Deltan Dallagnol como “sumamente preocupantes”.

Moro não confirmou a autenticidade das mensagens e privilegia a tese de que uma organização criminosa teria tentando hackear seu telefone. “A informação publicada questionaria um elemento absolutamente essencial nos processos judiciais em geral, e nos processos penais de envergadura em particular, que são os princípios de integridade e de neutralidade nas decisões judiciais”, disse o relator da ONU.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.